Blog Hammer Marcas

Quanto vale sua marca?

escrito por: em Notícias 23 de fevereiro de 2021

Dúvidas do tipo “Devo registrar a marca?”“Qual a importância do registro?”“Como fazer o registro?” são frequentes na hora do orçamento para criação de uma marca. Primeiramente temos que ter em mente que a marca é o item mais importante de uma empresa, principal elo entre o negócio e o cliente. É o que representa visualmente, identifica e distingue produtos e serviços dos demais pelos consumidores. Com o tempo, a marca passa a ser entendida como o referencial de qualidade daquele produto ou serviço.

Registrar a marca é a única maneira de se proteger legalmente contra possíveis cópias e garantir exclusividade em todo o território nacional, podendo ser estendido para mais 137 países. Apesar de envolver custos, o empreendedor deve entender que o registro de marca é um investimento, não uma despesa, essa ação vai se refletir no futuro fluxo de caixa da empresa.

Qualquer pessoa física ou jurídica que esteja exercendo atividade legalizada e efetiva pode requerer o registro de uma marca. Ele é concedido pelo órgão governamental INPI (Instituto Nacional da Propriedade Industrial) e tem a duração inicial de dez anos, prorrogáveis.

AS MARCAS PODEM SER:

Nominativas: Constituídas apenas de palavras, conjunto de letras, números ou algarismos.

Figurativas: Representadas por um desenho, qualquer forma estilizada de letra, imagem ou sinal gráfico.

Mistas: Compostas de uma marca nominativa e uma figurativa, ou nominativa com estilização.

Tridimensionais: Caracterizadas pela forma plástica de produto ou de embalagem, cuja forma tenha capacidade distintiva em si mesma e esteja dissociada de qualquer efeito técnico.

COMO AS MARCAS SÃO CLASSIFICADAS:

Marcas de Produto: São utilizadas pelo industrial ou comerciante para distinguir o produto ou comércio de outros.

Marcas de Serviço: São as utilizadas pelo prestador de serviço para distinguir os seus serviços de outros.

Marcas Coletivas: São utilizadas para identificar produtos ou serviços provenientes de membros de uma determinada entidade.

Marcas de Certificação: São utilizadas para atestar a conformidade de um produto ou serviço com determinadas normas ou especificações técnicas.

O QUE PODE OU NÃO SER REGISTRADO:

Pode ser registrado marcas que não caracterizam reprodução ou imitação de outras já existentes, as que estejam na mesma classe de atividade e inclusas nas proibições legais será vetado o seu registro.

IMPORTANTE!

Consulte as marcas já registradas: Antes de dar início ao pedido de registro da marca é importante fazer uma consulta no Sistema de busca de marcas do INPI. Veja se já existe alguma marca com o nome ou logo da que pretende registrar. A prioridade do registro é sempre da empresa que solicitou primeiro, mesmo que o processo ainda não esteja concluído.

Defina o setor de sua marca: Uma mesma marca pode ser registrada para diferentes setores de atividade, isso permite, por exemplo, que um hotel, um cigarro e uma marca de eletrodomésticos tenha o mesmo nome.

Defina a apresentação de sua marca: Antes de dar a entrada no pedido você deve ter claro qual o tipo de marca a sua se encaixa. Será apenas o nome? Terá um logo? É uma marca física? Esse é o momento de decidir sua forma de apresentação.

Defina a natureza da sua marca: É importante também conhecer e estabelecer a classificação de sua marca, se ela é de um produto, serviço, marca coletiva ou de certificação.

Verifique as taxas: Para fazer o registro é necessário pagar pelo menos duas taxas. Uma na entrada do pedido e outra quando receber o registro. Se durante o processo for solicitada alguma outra ação, como a apresentação de documentos complementares, outras taxas podem ser solicitadas.

O INPI oferece desconto para microempresas, microempreendedores individuais (MEI), pessoas físicas e cooperativas.

Quer saber mais sobre o assunto? Deixe suas dúvidas nos comentários ou entre em contato conosco.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.